terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Roupa Nova em São Caetano foi um sucesso!

Pensem em uma noite mágica: lotação máxima do público, carisma do grupo, grandes sucessos, paz, muito amor e música boa demais! Assim foi o sábado à noite, do dia 19 de dezembro inesquecível, às vésperas do Natal, para quem estava presente no Ginásio Milton Feijão, em São Caetano do Sul.

Foto: Vanessa Cimino da Paz

A apresentação do grupo Roupa Nova, união que já ultrapassa 30 anos de carreira, foi excepcional. O público cantou e vibrou com sucessos consagrados como "Dona", "Anjo", "Sapato velho", "Coração pirata"e, com composições mais recentes como "Cantar faz feliz o coração". 


Foto: Vanessa Cimino da Paz

Além disso, o grupo deu uma palhinha de grandes arranjos musicais que fizeram e fazem parte da história de muita gente como o "Tema da vitória", presentes nas corridas de Ayrton Senna; "Ilariê", Xuxa; Tema do programa Vídeo Show e a abertura do Festival Rock In Rio.
Dentre outras grandes canções que fazem desse grupo um referencial inigualável da nossa música brasileira.


Foto: Vanessa Cimino da Paz.

Os feras do Roupa Nova:

Feghali: teclado, violão, guitarra, voz e vocal. 
Kiko: violão, guitarra, voz e vocal.
Nando: baixolão, baixo acústico, violão, voz e vocal.
Paulinho: voz e percussão.
Serginho: bateria, djembe, voz e vocal.
Cleberson: teclados e vocal.


Fotos e reportagem: Vanessa Cimino da Paz
Por: Telas e Palcos
Você sabe de tudo por aqui!
Realização: Upeventosabc


Biografia 
Uma banda com mais de trinta anos de carreira, dezenas de sucessos lançados, uma agenda de shows ininterrupta e lotada pelo Brasil inteiro e que conta com seus integrantes originais na sua formação. O Roupa Nova é um fenômeno da música brasileira.
O grupo começou sua lista de sucessos com a música “Canção de Verão” na década de 80 e desde então emplaca hits nas rádios e telenovelas brasileiras, com um público fiel e que se renova a cada ano.
Formada por exímios músicos, o Roupa Nova já lançou 22 CDs e 05 DVDs, alcançando a impressionante marca de mais de cinco milhões de produtos vendidos.
A banda já teve dezenas de músicas incluídas em trilhas de novelas, o que garante uma forte presença de suas canções no imaginário brasileiro.
Canções como "Dona" em Roque Santeiro, "Coração Pirata" em Rainha da Sucata, "Começo, meio e fim" em Felicidade e "Whisky a Go Go " em Um sonho a mais tornaram clássicos no imaginário popular brasileiro e são sempre pedidas nos shows.
Com as mudanças sofridas pela indústria fonográfica no início dos anos 2000, os músicos decidiram criar um selo próprio - o Roupa Nova Music - gerenciando e distribuindo o próprio trabalho.
Em 2004, lançaram o CD e DVD RoupAcústico, que obteve a incrível marca de 220.000 DVDs e 320.000 CDs vendidos, arrematando as principais premiações do mercado da música na época.
Em 2009, realizaram um sonho antigo: gravar no célebre estúdio Abbey Road em Londres. O projeto “Roupa Nova em Londres” recebeu o prêmio Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro.
Em 2010 lançaram o projeto comemorativo “Roupa Nova 30 anos”, celebrando uma história de sucessos.
Em 2012 lançam o DVD “Cruzeiro Roupa Nova”, onde interpretam suas músicas num ambiente único: um transatlântico em alto mar.

 (Retirada do site oficial do Grupo http://www.roupanova.com.br/



quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Pinacoteca de São Bernardo recebe exposição ‘Desenho’, de Beto Damasceno

Nas obras, artista de São Bernardo desenha com carvão sobre diferentes bases, de cartolina a páginas de jornal; abertura será no dia 10, às 19h
Será aberta nesta quinta-feira (10) mostra do artista são-bernardense Betto Damasceno com trabalhos que fazem parte da série chamada ‘Desenho’. As peças estarão expostas na Biblioteca de Arte Ilva Aceto Maranesi, espaço que fica na Pinacoteca de São Bernardo, no Jardim do Mar.
As obras, sombrias e muitas delas representando pessoas e paisagens, apresentam diferentes graus de distorção em relação à ‘realidade’. Utilizando carvão, o artista, que é autodidata, desenha sobre diferentes bases: papel canson, craft, cartolina e até sobre páginas de jornal.     
A abertura da mostra acontece a partir das 19h, com a presença do artista, do curador, João Delijaicov Filho, e convidados. O evento é aberto ao público. Damasceno já expôs e doou obras à Pinacoteca.
A Biblioteca de Arte tem como metas reunir e difundir o acervo municipal de publicações relacionadas às artes visuais e divulgar os artistas da cidade.
Serviço - A Pinacoteca de São Bernardo fica na Rua Kara, 105, no Jardim do Mar. A visitação acontece até 16 de janeiro, das 10h às 18h, e nas quintas-feiras, até as 21h.

Foto: Divulgação.

Giovanna Vilarinho faz show de estreia na Villa Country amanhã!!!

A cantora e compositora Giovanna Vilarinho realizará nesta quinta-feira (10/12) uma apresentação na Villa Country, em São Paulo. Esta será a primeira vez que a artista subirá ao palco da tradicional casa de shows localizada na zona oeste da capital. Ao lado de Rodrigo Rios, ela promete colocar o público para dançar, com um repertório animado, que contemplará sucessos atuais da música sertaneja e composições próprias. Esta parceria nos palcos tem sido uma das conquistas que Giovanna Vilarinho alcançou em 2015. Desde que ingressou ao casting da RR Produções, eles têm se apresentado juntos pelas principais casas da noite paulistana, como Wood’s e Brook’s, por exemplo.

Foto: Divulgação.


“Essa turnê ao lado do Rodrigo Rios tem sido demais! Cantar na Villa Country será uma realização pessoal, um sonho realizado! Já estive por diversas vezes assistindo shows na casa e estou bastante feliz e ansiosa em poder me apresentar neste palco que recebe tantos grandes artistas. Espero que esta seja a primeira de muitas oportunidades”, destaca Giovanna Vilarinho, que momento se prepara para entrar em estúdio no mês de janeiro para a gravação de seu primeiro EP.
Cantora e atriz, Giovanna Vilarinho está na estrada desde a infância, colecionando diversos trabalhos em seu currículo. Versátil, atuou como Vanessa na novela Marisol e no musical da Broadway, Les Miserables, na pele da personagem ‘Pequena Cosette’, dentre outros papeis. Para saber mais, acesse o site oficial: www.giovannavilarinho.com.br
Serviço:
Show Giovanna Vilarinho e Rodrigo Rios na Villa Country
Data: 10 de dezembro
Abertura da casa: 20h
Local: Villa Country
Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 774, Parque da Água Branca – São Paulo
Informações e ingressos: www.villacountry.com.br (11) 3868-5858

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Lapa 40 Graus recebe Maria Rita, Almir Guineto, Baile do Abrava, Inimigos da HP e muito mais

Para encerrar o ano em grande estilo a casa mais charmosa da Vila Madalena preparou uma agenda pra lá de especial




Nas próximas semanas, o palco do Lapa 40 Graus de São Paulo recebe shows imperdíveis: Almir Guineto, Maria Rita, Baile do Abrava, Inimigos da HP, Amigos do Pagode 90, entre outras, são as próximas atrações.
Além disso, a casa oferece dinâmicas de dança todos os sábados. A cada semana, um ritmo diferente prepara o público para curtir os shows em grande estilo.
Confira a agenda com as próximas atrações!

Foto: Divulgação.


11/12 Almir Guineto e Na Palma da Mão
Da infância no Morro do Salgueiro a um dos maiores nomes do samba, o cantor se apresenta pela primeira vez no palco do Lapa 40 Graus. Almir promete não deixar de fora do repertório sucessos como “Conselho”, “Insensato Destino”, “Mel na Boca” e “Caxambu”. Para aquecer o público, o grupo Na Palma da Mão se apresenta a partir das 23h30.
Valores: R$40 H | R$30 M
Ingressos antecipados disponíveis na bilheteria do Lapa 40 Graus ou online em www.tudus.com.br
Show: 1h

12/12 Clube do Balanço
O ritmo da noite é o samba rock. O professor Moskito lidera a pista de dança a partir das 21h30 para ensinar os passos que acompanham a música do Clube do Balanço.
Valores: R$40 H | R$30 M
Ingressos antecipados disponíveis na bilheteria do Lapa 40 Graus ou online em www.tudus.com.br
Show: 23h

13/12 Baile do Abrava com Péricles
Neste domingo (13), Tiago Abravanel apresenta o último baile do ano no Lapa 40 Graus de São Paulo. Além das recém-lançadas “Baile do Abrava” e “De Brim”, os sucessos “Evidências”, “Encontrar Alguém” e “Vale Tudo” também fazem parte do repertório. “Quero mostrar que a dança, mesmo que livre é um símbolo de união entre as pessoas. Esse é um show com muita energia, no qual eu quero unir as pessoas através da música e da expressão corporal. Vamos soltar a criança adormecida dentro de nós”, conta Tiago.
Valores: R$50 | VIP R$80
Ingressos antecipados disponíveis na bilheteria do Lapa 40 Graus ou online em www.tudus.com.br
Show: 20h

15/12 Samba da Maria Rita
Pela primeira vez no palco do Lapa 40 Graus, a cantora apresenta o Samba da Maria. Ela revela  que “ainda que não seja uma roda de samba no sentido mais clássico, é um momento no qual posso não me prender tanto ao meu repertório”. E completa: “gosto muito de rodas de samba e vou poder cantar sambas que gosto”. No palco, acompanham a cantora, Davi Moraes na guitarra, Fred Camacho no banjo e cavaco e Marcelinho Moreira e André Siqueira na percussão.
Valores: R$80 | VIP R$130
Ingressos antecipados disponíveis na bilheteria do Lapa 40 Graus ou online em www.tudus.com.br
Show: 22h

18/12 Amigos do Pagode 90
Salgadinho, Chrigor e Márcio revivem os clássicos do samba e do pagode no Lapa 40 Graus. Formado em 2013, o grupo resgata os anos dourados do ritmo que marcou toda uma geração. Com um repertório que aposta nas músicas românticas, o trio promete uma verdadeira viagem no tempo, para ser entoada em coro na casa mais brasileira da noite paulistana.
Valores: M R$30 H R$ 40 | VIP R$60
Ingressos antecipados disponíveis na bilheteria do Lapa 40 Graus ou online em www.tudus.com.br
Show: 00h

19/12 Master Feijoada
O Lapa 40 Graus São Paulo se prepara para receber no sábado, os ex- participantes do reality show Master Chef Brasil. Carla, Cristiano e Lucas vão pilotar a cozinha do evento. Os chefes prometem preparar uma feijoada nobre, completa e com tudo o que o público paulistano tem direito. A casa receberá artistas, convidados e o público em geral para uma tarde regada a música de qualidade, um ótimo cardápio e muita diversão.
Valores: R$50
Ingressos antecipados disponíveis na bilheteria do Lapa 40 Graus ou online em www.tudus.com.br
Show: 13h

22/12 Gravação do DVD Inimigos da HP
Com as participações especiais de Péricles e do grupo Molejo, o Inimigos da HP sobe pela primeira vez ao palco do Lapa 40 Graus para a gravação do seu DVD.
Valores: R$30
Ingressos antecipados disponíveis na bilheteria do Lapa 40 Graus ou online em www.tudus.com.br
Show: 22h
  
Sobre o Lapa 40 graus SP
O Lapa 40 graus SP foi inaugurado em julho de 2014 e está localizado na Vila Madalena, região que concentra os melhores bares de São Paulo. A casa segue o mesmo conceito da proposta carioca do Lapa 40 graus – Sinuca & Gafiera. Com Carlinhos de Jesus entre os sócios e diretor da casa, o Lapa sempre foi referência ao Samba, mas hoje reúne uma grande diversidade de estilos musicais brasileiros e atende ao público a partir de 18 anos.

O local é separado em quatro ambientes, dispõe de bar, restaurante, sinuca, casa de shows, elevadores, banheiros adaptados e rampas de acesso para portadores de necessidades especiais.

A programação começa na quinta e encerra somente no domingo. Além das apresentações musicais, a casa também oferece um menu gastrômico com entradas, petiscos, pratos, sanduíches e sobremesas que podem ser degustadas no espaço Copacabana, área reservada para o Happy Hour. Já para quem prefere dançar, há a opção do espaço Gafieira ou camarotes e áreas Vip.  Todos os ambientes foram projetados pelo arquiteto Thiago Brito, mesmo idealizador do bar no Rio de Janeiro, e reúne sofisticação nos detalhes, boa música e um ambiente moderno e aconchegante.

Serviço – Lapa 40 graus SP

Local: Rua Inácio Pereira da Rocha, 520, Vila Madalena
Funcionamento: Quinta a domingo a partir das 18h
Os valores variam de acordo com os shows*

Formas de Pagamento: Dinheiro, Cartões de crédito e débito.
Não aceita Hipercard*
Lotação da casa: 1.300 pessoas
Contato: (11) 3097. 0095 
Site: http://lapa40graus.com.br
Proibida a entrada de menores de 18 anos, mesmo acompanhado por um responsável. 
Obrigatória a apresentação de um documento original com foto.   

Aquário de São Paulo inicia campanha para ajudar na preservação do peixe-boi da Amazônia

Toda renda obtida na bilheteria (compra de ingressos) e compra dos produtos da AMPA no Aquário de São Paulo, no dia 05 de dezembro, será revertida para a preservação e reintrodução do peixe boi na Amazônia. 

No dia 05 de dezembro, o Aquário de São Paulo dará início à campanha DIA DOS AMIGOS DO PEIXE-BOI, criada para promover a participação dos visitantes para ajudar a salvar a vida do peixe-boi amazônico, um dos animais mais ameaçados de extinção no Brasil, devido à caça ilegal e as mudanças de seuhabitat natural. 
O objetivo é tornar o evento anual e colaborar com o trabalho de reabilitação dos peixes-bois, realizados pela Associação Amigos do Peixe-Boi, AMPA, instituição que vem se consolidando como um dos principais parceiros do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA, uma autarquia do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MCTI, na proteção dos mamíferos aquáticos da Amazônia. 
Nesta data, toda a renda obtida com a venda de ingressos e a compra dos produtos da AMPA no Aquário de São Paulo, será revertida para a AMPA

Tapajós, o peixe-boi amazônico que vive no Aquário de São Paulo
Diante de um setor totalmente dedicado à Amazônia  e com o propósito de promover a educação socioambiental em várias esferas importantes na comunicação com a sociedade, em 2009 o Aquário de São Paulo teve a iniciativa de receber o Tapajós, na época um jovem filhote de peixe-boi amazônico, encontrado nas margens do rio Tapajós, no Pará, sem a presença da mãe e com medidas de recém-nascido. O Tapajós se tornou um embaixador da Amazônia em São Paulo e um símbolo para a conscientização da preservação de sua espécie entre crianças e adultos.
Um pouco sobre a AMPA
Os animais resgatados estão atualmente no parque de visitação do INPA/MCTI em Manaus-AM, que funciona como centro de reabilitação de animais apreendidos do comércio ilegal.Desde o nascimento da AMPA, em 2000, mais de 120 filhotes órfãos de peixe-boi da Amazônia foram resgatados e levados ao INPA para serem reabilitados. Desses, 11 já adultos, foram transferidos para um semi-cativeiro, em Manacapuru, Amazonas, para serem futuramente reintroduzidos à natureza, caracterizando sucesso na reabilitação. 
AMPA – Associação dos Amigos do Peixe-boi foi criada há 15 anos com o objetivo de promover a pesquisa e proteção dos mamíferos aquáticos da Amazônia com o objetivo de propiciar à sociedade um convívio saudável com a fauna da Bacia Amazônica. A AMPA trabalha com indivíduos e organizações, visando assegurar que a biodiversidade amazônica conviva em seu ambiente natural em harmônica relação com as comunidades ribeirinhas locais e a população de grandes metrópoles, como Manaus-AM, por exemplo. Além do trabalho com o peixe-boi da Amazônia, a AMPA também realiza projetos voltados a outros animais: lontra, boto vermelho (ouboto cor-de-rosa), boto tucuxi e ariranha. Para saber mais sobre a AMPA, acesse:www.ampa.org.br

Aquário de São Paulo
Rua Huet Bacelar, 407
Ipiranga - São Paulo
Tel: (11) 2273 5500
Facebook: aquariodesp

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Chitãozinho & Xororó lançam turnê “No Tom do Sertão” em São Bernardo do Campo em 23 de janeiro

A Up Eventos leva a turnê “No Tom do Sertão”, de Chitãozinho & Xororó, para a cidade de São Bernardo do Campo, no sábado, dia 23 de janeiro, no Auditório Cenforpe, a partir das 21h.
Esse show é baseado no disco “Tom do Sertão”, em homenagem ao maestro, arranjador e compositor Tom Jobim (1927-1994), com temáticas alusivas ao campo, natureza e amor, muito presentes no universo sertanejo, lançado em CD em janeiro de 2015 e em vinil em julho.
No palco que reproduz uma fazenda, os artistas interpretam “Águas de Março”, “Correnteza” e “Eu Não Existo sem Você”. Além de canções de Jobim, a dupla intercala sucessos da carreira, como “Evidências”, “Fio de Cabelo” e “No Rancho Fundo”, a clássicos da música popular, a exemplo de “Disparada” e “Como Nossos Pais”.
Com direção geral de Chitãozinho & Xororó, da Hit Music e da Live Talentos, empresa responsável pela carreira artística da dupla, o público poderá conferir um espetáculo único, com cenário interativo produzido em linguagem 3-D.


Foto: Divulgação


Chitãozinho & Xororó sobem ao palco acompanhados por Claudio Paladini (teclados e vocal), Daniel Quirino (vocal e percussão), Ricardo Vendramini (sax, flauta, rabeca e percussão), Marcelo Modesto (guitarra, banjo, cello, mandolin e violão), Fábio Almeida (baixo), Renato Britto (bateria), Frank Joni (acordeon), Edson Guidetti (violões, dobro, lapsteel e guitarras), Ney Marques (violões, mandolin e guitarras), além de um quarteto de cordas formado por Ernani Teixeira (spalla), Carol Duarte (violino), Catarina Schmitt (viola) e Geneses de Oliveira (violoncelo).

Chitãozinho & Xororó em números
§  37 milhões de discos vendidos
§  37 álbuns inéditos e 8 DVDs
§  Centenas de discos de ouro, platina e diamante
§  Dezenas de prêmios na música, incluindo 3 Grammy
§  Mais de 6 mil shows
§  Público estimado em 100 milhões de pessoas
§  Mais de 100 mil pessoas em um único show
§  1,8 milhão de vendas em um único disco
§  Mais de 400 músicas gravadas
§  Mais de 70 campanhas publicitárias
§  Envolvimento em mais de 150 projetos de Responsabilidade Social
§  Parcerias com mais de 100 nomes da música nacional e internacional
§  1982 foi o ano de início do grande sucesso com ‘Fio de Cabelo’ 

Serviço: Show de Chitãozinho & Xororó em São Bernardo do Campo
Local:  Auditório Cenforpe
Endereço: Av. Dom Jaime de Barros Câmara, 201 - Planalto
Data:  sábado, dia 23 de janeiro
Horário: 21h (início do show) e 19h30 (abertura dos portões)
Ingressos: R$ 120 a R$ 250 (meia-entrada para estudantes, idosos e professores portando documento que comprove o direito ao benefício)
Classificação indicativa: 16 anos
Capacidade: 1698 lugares

(Re)Ciclo Musical apresenta Barbatuques


Ampliando suas ações para além de sua programação anual, a Virada Sustentável oferece neste sábado, 12 de dezembro, a partir das 14h, na praça Victor Civita, mais uma edição do projeto (Re)Ciclo Musical, desta vez com o show da banda Barbatuques. 

Parte da programação oficial da 5ª Virada Sustentável, no final de agosto, voltado para a educação em sustentabilidade e inclusão, o (Re)Ciclo Musical é uma série de apresentações musicais infantis que vem ocupando a Praça Victor Civita em eventos mensais, ate dezembro. Em cada edição, além de um show musical, são realizadas diversas atividades para a família, tais como oficinas, contação de história, brincadeiras e pic nic. 

Neste dia 12 de dezembro, antes do espetáculo da banda Barbatuques, o (Re)Ciclo anima a tarde de pais e filhos com as oficinas “Construção de instrumentos (Massacuca)” e “pintura e colagem com terras e fibras naturais (Arte Terra Cor)” , além da atividade de contação de história “Canta e Conto”. Todas as apresentações contam com tradução em libras e shake – plataforma vibratória para surdos.

Foto: Divulgação.


Em sua primeira edição de 2015, dentro da programação anual da Virada Sustentável, no dia 30 de agosto o (Re)Ciclo Musical ofereceu o show da banda Tiquetê. Já no dia 19 de setembro, foi a vez do espetáculo da Rubra Pop Show. Em outubro, no dia 17, o espetáculo principal foi da Banda Mirim, e no dia 21 de novembro, Pequeno Cidadão. 

Com o objetivo de criar oportunidades para o cidadão se informar e se engajar sobre a sustentabilidade, por meio de atividades lúdicas e culturais, o Projeto (Re)Ciclo Musical é apresentado pelo Proac - Lei de Incentivo à Cultura do Estado de São Paulo. Tem o apoio da Praça Victor Civita e a confiança dos seguintes patrocinadores: Braskem, Oi Futuro, AES Eletropaulo e Kellogg's. A realização é da Virada Sustentável em parceria com o Governo do Estado.

Programação:
14h às 16h - Oficina de construção de instrumentos (Massacuca)
Confecção de instrumentos musicais a partir de sucatas. Os participantes serão convidados a explorar as sonoridades e possibilidades rítmicas de cada instrumento construído

14h às 16h - Oficina de pintura e colagem com terras e fibras naturais (Arte Terra Cor)
A oficina "Grafitti com terras - colorindo a cidade", é uma vivência de conexão com a Terra por meio da arte. Nela será ensinada uma técnica de pintura com terras em paredes utilizando apenas materiais atóxicos com baixo impacto ambiental. Este tipo de pintura pode ser feito por crianças e adultos, estimulando a criatividade e a sensibilidade por meio do contato com as terras. Por ser de fácil produção e baixo custo, se torna acessível como alternativa para pintar casas, ambientes internos e externos. O objetivo é despertar o olhar para as belezas das cores das terras, o respeito e o cuidado pelo planeta, trazendo alternativas para a arte em um mundo mais sustentável.  A oficina será ministrada por Alice Haibara

15h às 16h - Contação de história: “Canta e Conto” – Criatividade e interação envolvendo música e história
Com mais de 300 apresentações realizadas, o projeto de contação de histórias com música Canta e Conta, vem se desenvolvendo desde 2009. Formado pela dupla Paula Lisboa (atriz/contadora de histórias) e Marina Siqueira (musicista/psicóloga psicodramatista), e contando com a colaboração de Flora Poppovic (musicista/educadora musical), a atividade propõe a contação de história interativa, enriquecida pela participação do público, e musicada com canções do folclore brasileiro e da cultura infantil. Contadas em clima afetuoso e descontraído, as histórias estimulam a sensibilidade, a expressão, o raciocínio, a sociabilização, entre outros atributos que colaboram na formação do indivíduo. O repertório do Canta e Conta é composto por roteiros baseados em histórias e poesias de autores contemporâneos brasileiros e estrangeiros, além de contos populares, podendo unir, por exemplo, uma história de autoria norte-americana com cantigas brasileiras, ou composições de Vinícius de Moraes.

16h – Show: Barbatuques – Espetáculo “Tum Pá”
Referência internacional em percussão corporal, o núcleo artístico e pedagógico Barbatuques mantém, desde 1996, um complexo trabalho de pesquisa sobre a linguagem sonora corporal. Como grupo musical atua desde 1997 por todo o Brasil e no exterior com uma sólida agenda de shows e workshops, para outros grupos artísticos, empresas, escolas, fundações culturais, Ongs e universidades. Sua forma singular de fazer música e as inúmeras possibilidades de extrair sons do corpo, tornaram o grupo reconhecido no meio artístico, corporativo e pedagógico.

Tum Pá é o primeiro espetáculo do Barbatuques totalmente dedicado ao público infantil. No show são apresentadas as faixas que compõe o disco, repertório formado por canções autorais do grupo e outras da cultura popular em versões originais e inusitadas. Tum Pá é uma jornada através de sons que brincam com todo o corpo. Jogos rítmicos, assobios e cantos, imitação de instrumentos musicais, adivinhas e muito mais na busca pelos mais variados sons através do corpo. Proporciona as crianças (e aos adultos) uma forma diferente de perceber e brincar com a sonoridade do mundo.

Sobre a Virada Sustentável
A Virada Sustentável é um festival anual de mobilização e educação para a sustentabilidade, que envolve cocriação, articulação e participação direta de organizações da sociedade civil, órgãos públicos, escolas e universidades, empresas, coletivos e movimentos sociais.

Com o objetivo de apresentar uma visão positiva e inspiradora sobre a sustentabilidade e seus diferentes temas para a população, a Virada Sustentável reúne centenas de atrações, atividades e conteúdos ligados aos temas da sustentabilidade (biodiversidade, resíduos, água, cidadania, mobilidade urbana, mudanças climáticas, direitos humanos etc.), realizadas simultaneamente em parques e espaços públicos, equipamentos culturais, universidades e escolas. Todas gratuitas e abertas ao público.

Em sua primeira edição, em 2011, a Virada reuniu mais de 500 mil pessoas em 482 atrações distribuídas em 78 espaços. No segundo ano, com ações e atrações em todas as regiões da cidade, a Virada se democratizou, reunindo em torno de 740 mil pessoas em 612 atividades gratuitas localizadas em 149 locais. Em 2013, o evento reuniu 695 atrações e atividades distribuídas em 152 locais de São Paulo, com público aproximado de 800 mil pessoas. Em 2014, o evento reuniu 715 atrações e atividades distribuídas em 155 locais, com público aproximado de 900 mil pessoas. Em agosto de 2015, o evento promoveu mais de 800 atrações, sendo realizado em 138 locais de São Paulo. 


Virada Sustentável apresenta (Re)Ciclo Musical @ Praça Victor Civita
Sábado, 12 de dezembro de 2015
Horário: 14h às 16h – Oficina: construção de instrumentos (Massacuca)
              14h às 16h - Oficina: Grafitti com terras - colorindo a cidade (Arte Terra Cor)
              15h às 16h - Contação de História: “Canta e Conto” - Criatividade e Interação                                                           envolvendo Musica e História
              16h - Show: Barbatuques – “Tum Pá”
Local: Praça Victor Civita
Endereço: Rua Sumidouro, 580 - Pinheiros (fácil acesso, ao lado do Terminal Intermodal Pinheiros)
Telefone: (11) 3031-3689
Classificação: Livre
Gratuito

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

"Alavancas e Dobradiças"

A bailarina Célia Gouvêa está despojada no palco. Aos 50 anos de carreira dedicada à dança, ela tem a certeza que menos é mais. E se recusa a chamar de “espetáculo” seu Alavancas e Dobradiças, chama de “peça de dança” seu mais recente trabalho, que faz duas curtas temporadas em São Paulo: em O Lugar, nos dias 27, 28 e 29 de novembro de 2015 e no CCSP (Centro Cultural São Paulo) dias 11, 12 e 13 de dezembro de 2015.

Foto: Vitor Vieira

Em cena, é a própria Célia que relata, em tom confessional, com palavras, gestos e passos, sua trajetória e lembranças e lança a pergunta:"O que é a dança para você?". E segue além ao questionar a proliferação atual dos relatos pessoais cênicos ao mesmo tempo em que promove um. Em Alavancas e Dobradiças, a artista lança reflexões e apresenta trechos de coreografias de décadas passadas, como C-E-C-I-L-I-A (2001),Assim Seja? (1984), Expediente (1980), Festarola (1988), Romance de Dona Mariana (1989) e Parasha (1998). Aos extratos, conta momentos pessoais que viveu quando da criação e circulação das obras e cita filósofos, mestres e parceiros de cena, tudo ao som do 2º movimento do concerto para violino e orquestra de Philip Glass.

Foto: Vitor Vieira


Há dois anos, a bailarina fez um recuo e repensou o que poderia movê-la, impulsioná-la à uma nova criação. Desse momento de busca veio o desejo de concluir algo que havia parado na juventude, mas que poderia subsidiar inquietações: terminar a faculdade de Filosofia, iniciada aos 18 anos, mas deixada para trás para que pudesse seguir com a dança, a paixão mais urgente. Formada em Filosofia em 2012, já se qualificou para o Doutorado na ECA/USP e em dois terminará mais esse ciclo em sua vida.

Foto: Vitor Vieira


Por que o nome Alavancas e Dobradiças? Célia responde que “os dois termos apresentam definições como potência e resistência, que juntas geram energia, fator necessário para as mudanças”. A bailarina tem a certeza que o passar dos anos propicia “deixar de lado o que é supérfluo, e ficar com o que importa”. E na obra que apresenta agora, Célia se sente à vontade para citar os filósofos, mestres e parceiras de cena que nortearam, de alguma forma, a construção dessa peça de dança: de Roland Barthes a Maurice Merleau Ponty, passando por Gilles Deleuze e Khrisnamurti; os professores Celso Cruz, Fernand Schiren, Ruth Rachou; os coreógrafos Alwin Nikolais, Maurice Béjart, William Forsythe, Trisha Brown, Merce Cunningham; a poeta Cecília Meireles e das  artistas e colegas Maguy Marin e Juliana Carneiro da Cunha, além do físico Isaac Newton, todos citados em Alavancas e Dobradiças.

No palco nu, Célia tem um elemento visual que a impulsiona: o arame, escolhido por ser uma matéria maleável, simples, que pode adquirir diferentes formas, envolve, mas também pode ser imprevisível, como a areia que se move para qualquer lado, sem obedecer restrições. Assim Célia se sente nesse momento, apta a ir para qualquer lado, sem receio de nada.

Foto: Vitor Vieira



Sobre Célia Gouvêa
Doutoranda no Programa de Pós Graduação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (Doutorado direto). Graduada em licenciatura pelo curso de Filosofia da Faculdade de São Bento (2012). Formada pelo MUDRA de Maurice Béjart, em Bruxelas/Bélgica, voltado à interação entre as várias linguagens artísticas (1970-1973). Foi co-fundadora do Grupo CHANDRA (Teatro de Pesquisa de Bruxelas).

Em 1974, iniciou no Teatro de Dança Galpão, em parceria com Maurice Vaneau, um movimento renovador da dança, através de uma perspectiva multidisciplinar, com o espetáculo Caminhada, saudado pelo crítico Sábato Magaldi como um espetáculo perfeito... Um novo caminho e uma nova linguagem. Foi artista em residência na Universidade de Illinois, em Champaign-Urbana (1977). Criou 60 coreografias, destacando Trem Fantasma e Promenade (1979), no TBC (Teatro Brasileiro de Comédia) e Teatro Municipal de São Paulo; Expediente (1980), no Teatro de Dança Galpão; Assim Seja? (1984), na ACARTE em Lisboa; Sapatas Fenólicas(1992), no Centro Cultural São Paulo, Danças em Branco (2005), Teatro Cacilda Becker, Rio de Janeiro. Conquistou prêmios de melhor coreógrafa, bailarina, espetáculo, pesquisa e criação da APCA, Governador do Estado, Apetesp e Funarte. Recebeu bolsas de pesquisa e criação do CNPq, auxílio à Pesquisa da Fapesp, VITAE, John Simon Guggenheim Memorial Foundation.

Em 1998 foi agraciada com a bolsa Virtuose, que a conduziu à França, onde realizou duas montagens no estúdio do Théâtre du Soleil (Paris) e coreografou o desfile da Bienal de Dança de Lyon/2000. Em 2006 é contemplada pela 1ª edição do Fomento à Dança da cidade de São Paulo pelo projeto Cidade. Em 2009 seu trabalho nas décadas de 1970 e 80 foi abordado em tese de doutorado na UNICAMP por Silvia Geraldi. Em 2011, sua carreira foi revisitada pelo documentário Figuras da Dançacom produção da São Paulo Cia. de Dança. Em 2012, pela segunda vez recebe o prêmio Fomento à Dança da cidade de São Paulo para preservação, organização e compartilhamento do acervo Gouvêa-Vaneau, acessível pelo site www.acervogouvea-vaneau.com.br.

Em 2014 apresentou o espetáculo Alavancas e Dobradiças como convidada de honra da 8º Mostra do Fomento à Dança, que também teve em sua programação a exposição Décadas de Dança – acervo Gouvêa-Vaneau com duas palestras-guiadas pela própria Célia Gouvêa. Ainda nesse ano, a artista foi indicada ao Prêmio Governador do Estado com o projeto de preservação e compartilhamento do acervo Gouvêa-Vaneau. Em 2015, é contemplada pelo 18º Fomento à Dança para circular com a peça Alavancas e Dobradiças.

Ficha Técnica
Coreografia e Interpretação: Célia Gouvêa
Produção: Ação Cênica
Assistente de produção e Iluminador: Rafael Petri

Serviço
Duração: 50 minutos I Classificação: livre

VIII Mostra Lugar Nômade de Dança
Espaço Cênico O Lugar – Sala Norte
Dias 27, 28 e 29 de novembro de 2015
Sexta às 21h, sábado e domingo às 20h30
Rua Augusta, 325 – Consolação. São Paulo/SP
Tel. 11 3237-3224 Capacidade: 60 lugares
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia – estudantes, classe artística e terceira idade).


Semanas de Dança 2015
Centro Cultural São Paulo – Sala Anexo
Dias 11, 12 e 13 de dezembro de 2015
Sexta e sábado às 21h, domingo às 20h
Rua Vergueiro, 1000. São Paulo/SP
Tel. 11 3397-4002 Capacidade: 70 lugares
Ingressos: Grátis (Retirar com 1h de antecedência na bilheteria)


Informações à imprensa
Canal Aberto Assessoria de Imprensa
Márcia Marques - Fones: 11 2914 0770 | Celular: 11 9 9126 0425
Daniele Valério - Celulares: 11 9 6705 0425 | 9 8435 6614




Logo Pinup canal aberto
Canal Aberto Assessoria de Imprensa
Márcia Marques
Fones: 11 2914 0770 Celular: 11 9 9126 0425

Festival Batuque 2015 traz a atração internacional Joey Bada$$

Evento anual dedicado a black music e vertentes, o Festival Batuque chega a sua sexta edição. Nos dias 12 e 13 de dezembro, grandes representantes nacionais e internacionais agitam o palco do Sesc Santo André, tendo como atração principal o rapper americano Joey Bada$$.
Pela primeira vez no Brasil,  ele é um grande fenômeno da era da internet. Filho de jamaicano, nasceu no Brooklyn e fez fama por meio damixtape “1999”. Lançou este ano seu primeiro álbum oficial, “B4DA$$”, que, além de chegar ao topo da parada da Billboard, se tornou catalizador do movimento #BlackLivesMatter, em protesto pela onda recente de jovens negros assassinados pela polícia norte-americana.

Foto: Divulgação.


Joey Bada$$ fechará os dois dias do Festival Batuque. No sábado, Beatwise Recordings, Mental Abstrato e RZO, com os seus principaishits, são outras presenças. BNegão & Seletores de Frequência, Ogi e Space Charanga integram a programação de domingo. O paulista MC Max B.O. e o carioca DJ Tamenpi são os convidados para conduzir a festa durante todo o fim de semana.
Haverá um serviço de van gratuito para fazer o translado entre a estação da CPTM Prefeito Celso Daniel ao Sesc, a partir das 16h. A saída é na Rua Itambé (lado oeste da estação), no recuo de embarque e desembarque. Para o uso desse serviço, basta apresentar o ingresso.

Programação:

Sábado, 12 de dezembro:
Joey Bada$$, RZO, Mental Abstrato e Beatwise Recordings

Domingo, 13 de dezembro:
Joey Bada$$, BNegão & Seletores de Frequência, Ogi e Space Charanga

Sobre as atrações:

Beatwise Recordings
Beatwise Recordings é um selo/gravadora com foco na produção beats baseado em São Paulo. O coletivo é formado pelos produtores Sants, CESRV, Sono, Soul One, MJP, Cybass, Bento e Abud e se caracteriza pelo ecletismo de estilos musicais envolvidos em suas criações. 

BNegão & Seletores de Frequência
Fundador da lendária banda Funk Fuckers (a primeira de uma nova e revolucionária geração carioca que incluía bandas como Planet Hemp, Speed Freaks e O Rappa), vendeu 1 milhão de discos com a “ex-quadrilha da fumaça” e segue sua trajetória com os Seletores de Frequência, banda com a qual lançou o clássico underground “Enxugando Gelo” (eleito melhor disco de 2003, pelo Prêmio Dinamyte), “Sintoniza Lá” (eleito o disco do ano pela MTV Brasil e melhor disco de hip-hop de 2012 pelo Itunes), além do atualíssimo “TransmutAção” (2015). Entre parcerias com nomes tão distintos como Wilson das Neves, Autoramas, Virgínia Rodrigues, Matanza, Manu Chao e Tony Allen, o rapper se destaca pela versatilidade e pelo compromisso com a música, acima de tudo.

Joey Bada$$
Nascido em 1995, Joey Bada$$ (nome artístico de Jo-Vaughn Virginie Scott) inseriu-se na música em 2010. Com carreira impulsionada pela internet, lançou neste ano o álbum “B4.DA.$$”, que debutou em quinto lugar na Billboard americana.

Mental Abstrato
Formado pelo trio Omig One, Calmão e Guimas Bass, o grupo Mental Abstrato une performances de músicos convidados com o uso de samplers, buscando criar batidas envolventes que passeiam pelo Nu-Jazz, Jazzy, Brazucada, Soul, Groove e Hip Hop. O primeiro disco do grupo, “Hip Hop Jazzy Groove”, foi lançado exclusivamente no Japão com grande reconhecimento internacional.

Rodrigo Ogi
O rapper Rodrigo Hayashi é mais conhecido por seu nome artístico Ogi e por sua antiga participação no grupo Contrafluxo. Nasceu na cidade de São Paulo e começou a rimar em 1994, mas só assumiu a vocação profissionalmente em 2003. Ogi tem dois álbuns gravados: “Crônicas da Cidade Cinza” (2011) e o recém-lançado “Rá” (2015).

RZO
O RZO – Rapaziada da Zona Oeste – surgiu em 1987, no bairro de Pirituba, por iniciativa do rapper Helião. Em parceria com Sandrão, o grupo começou a tomar forma e, nas primeiras formações, os DJs Loo e Rico comandavam as pick-ups. Eles faziam shows de abertura para outros grupos já consagrados, até que em 1999 lançaram o primeiro disco. “Todos são manos” foi lançado sob o selo criado pelo grupo Racionais MC’s, que era referência do rap nacional na época. Com a chegada da cantora Negra Li e do DJ Cia, o RZO se consolidou como é hoje. Em 2003, saiu o segundo e aclamado álbum do RZO, chamado “Evolução é uma coisa”. Em 2004, o grupo separou-se e retornou em 2014.

Space Charanga
A empreitada carnavalesca da “Espetacular Charanga do França” é a origem deste novo projeto instrumental e autoral do saxofonista Thiago França. À frente também da regência e dos arranjos, França conduz a banda com muito mais elasticidade e mais espaços para solos e criações espontâneas dos integrantes, numa espécie de alter ego musical do projeto original.

Convidados:

MC Max B. O.
Max é como os amigos conhecem Marcelo Silva. “B.O.” vem da referência a seu primeiro grupo de rap, o Boletim de Ocorrência. Hoje, acompanhando seus novos trabalhos, o B.O.  passou a ter outro significado: “Brasileiro Original”.  Max atuou no longa “Antonia”, de Tata Amaral, foi o MC Rappórter do Programa “Brothers”, da RedeTV! e atualmente é apresentador do Programa “Manos e Minas”, na TV Cultura. Em 2010, lançou ”Ensaio, O Disco”, seu primeiro álbum solo, fruto de cerca de 10 anos de trabalho e pesquisas musicais.

DJ Tamenpi
O carioca DJ Tamenpi é um dos grandes nomes na cena groove e hip-hop brasileira. Desde 2008 morando na capital paulista, está presente na movimentação da nova cena de festas de jazz paulistana com a 'JAZZY' que acontece mensalmente com shows de bandas de jazz brasileiras e internacionais e DJs que tocam vertentes jazzisticas na pista. Tamenpi é um dos jurados oficiais do ‘Red Bull Thre3Style World DJ Championships’ no Brasil, um dos principais campeonatos de DJs do mundo. Também atua como pesquisador musical e jornalista por meio do blog “Só Pedrada Musical”.


Festival Batuque
12 e 13 de dezembro
Sábado e domingo, às 17h
Valores: R$ 6 (Credencial Plena) | R$ 10 (Meia) | R$ 20 (Inteira)
No Espaço de Eventos

Ingressos à venda pelo Portal Sesc SP nas bilheterias da Rede Sesc
Classificação indicativa: 18 anos
*Venda limitada a 4 ingressos por pessoa, CPF e apresentação

SESC SANTO ANDRÉ
Rua Tamarutaca, 302 – Vila Guiomar – Santo André.
Telefone – (11) 4469-1200.
Estacionamento para o show (vagas limitadas):
Credencial Plena – R$ 5 (1ª Hora) | Outros – R$ 9 (1ª Hora)
Para informações sobre outras programações: